Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Mediador apela à cautela no desarmamento da Renamo

Lusa

  • 333

Maputo, 08 jul (Lusa) - O principal mediador dos contactos entre o Governo moçambicano e a Renamo, principal partido da oposição, considera que o desarmamento dos ex-guerrilheiros do movimento deve ser tratado com cautela, porque aqueles elementos são "o trunfo" da organização.

Na semana passada, as negociações entre o executivo moçambicano e a Renamo (Resistência Nacional de Moçambique), visando ultrapassar a crise político-militar no país, registaram um impasse, devido à colocação de um ponto prévio pelo Governo em que exige o desarmamento dos ex-guerrilheiros da Renamo.

Ao abrigo do Acordo Geral de Paz assinado em 1992, que pôs fim a 16 anos de guerra civil no país, a Renamo mantém um contingente armado, que devia ter sido integrado na polícia, para garantir a segurança da liderança do partido.