Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Matosinhos: ALADI pede que Câmara desbloqueie verbas para novo lar residencial

Lusa

  • 333

Porto, 10 ago (Lusa) -- A Associação Lavrense de Apoio ao Diminuído Intelectual (ALADI) pediu hoje à Câmara de Matosinhos que "pague urgentemente" o valor protocolado para o novo lar residencial, depois de quinta-feira ter visto parte da verba da responsabilidade da Segurança Social desbloqueada.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da ALADI, Joaquim Branco, explicou que as obras para o novo lar residencial da ALADI começaram a 3 de setembro de 2011 e até hoje o empreiteiro "não recebeu nada" uma vez que as verbas protocoladas com a Segurança Social, através do POPH (Programa Operacional Potencial Humano), e a Câmara de Matosinhos não foram ainda pagas.

A associação tinha agendado para hoje uma visita das concelhias do PS e o PSD de Matosinhos, seguida de conferência de imprensa, para dar a conhecer as dificuldades com as quais se deparavam, mas a confirmação, recebida na quinta-feira à tarde, por via eletrónica, de que o POPH tinha aprovado 50 por cento do investimento fez com que esta fosse desmarcada.