Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Mário Figueiredo diz que TAD é "desnecessário, inconveniente e inoportuno"

Lusa

  • 333

Lisboa, 05 dez (Lusa) -- O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional considerou hoje que a criação de um Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) é "um ato desnecessário, inconveniente e inoportuno", advertindo que as duas propostas legislativas estão feridas de inconstitucionalidade.

Para Mário Figueiredo, tanto proposta de lei do Governo como o projeto de lei do PS "contendem frontalmente" com os estatutos da FIFA, que impedem o recurso para os tribunais, tendo considerado que o Estado se está a substituir ao movimento associativo, o qual já contempla formas de arbitragem voluntária de conflitos, como sucede na Liga de clubes.

"Nenhuma das propostas deve ser aprovada. A Liga entende que a criação do Tribunal Arbitral do Desporto é um ato desnecessário, inconveniente e inoportuno", defendeu Mário Figueiredo durante uma audiência concedida pelo grupo de trabalho que está a discutir os dois diplomas na especialidade, na Assembleia da República.