Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Maomé: Ministro paquistanês oferece 100 mil dólares pela morte de realizador

Lusa

  • 333

Islamabad, 22 set (Lusa) -- Um ministro do governo paquistanês ofereceu uma recompensa de 100.000 dólares pela morte do autor de um filme ofensivo para o Islão que provocou violentos protestos em vários países muçulmanos.

"Anuncio hoje que esse blasfemo que insultou o profeta sagrado, se alguém o matar, dou-lhe um prémio de 100.000 dólares" (cerca de 77.000 euros), afirmou o ministro dos caminhos-de-ferro, Ghulam Ahmed Bilour.

Bilour, citado pela agência France Presse, convidou os "irmãos talibãs e da Al-Qaida" a participarem neste "nobre feito" e assegurou que ele próprio, se tivesse oportunidade, mataria o realizador com as suas próprias mãos.