Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Subsídios: CCP diz ser "determinante perceber quanto as famílias terão a menos" para consumir

Lusa Visão Verde

  • 333

Lisboa, 06 jul (Lusa) -- A Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP) defendeu hoje que é indiferente como é aplicado o corte nos subsídios e que "determinante" é perceber qual o impacto no consumo do "volume de receitas" retirado às famílias.

"Em termos da querela constitucional, não compete à CCP pronunciar-se. No que se refere aos efeitos práticos desta decisão, para nós o que é determinante é perceber qual o volume de impostos, ou pelo menos de receitas, que é retirado às famílias e isso é que tem um impacto significativo em termos do consumo. Se é de uma forma ou de outra, para nós é indiferente", disse hoje à agência Lusa o presidente da CCP, João Vieira Lopes.

O presidente desta confederação reagia desta forma às declarações do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, que, depois de o Tribunal Constitucional ter declarado que o corte dos subsídios apenas para funcionários públicos e pensionistas violava o princípio da igualdade, admitiu alargar as medidas de austeridade também ao setor privado, deixando em aberto a possibilidade de um corte generalizado em pelo menos um dos subsídios.