Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Provedor da Misericórdia do Porto defende racionalização da despesa sem pôr em causa equidade do Estado

Lusa Visão Verde

  • 333

Porto, 31 out (Lusa) - O provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto, António Tavares, defendeu hoje que se deve "melhorar, rentabilizar e racionalizar" a despesa do Estado sem pôr em causa "o acesso e a equidade dos cidadãos".

Em declarações à agência Lusa sobre a realização de 18 conferências em todo o país para discutir as funções sociais do Estado, iniciativa feita em parceria entre a União das Misericórdias Portuguesas (UMP) e Santa Casa da Misericórdia do Porto (SCMP), António Tavares explicou que este debate sobre o Estado Social pretende "procurar dar soluções para um problema que todos temos, a começar pelo Governo".

"É muito oportuna esta discussão, que tem que ser feita sem dramatismos, sem pressões e com uma certeza: não podemos voltar para trás, temos que garantir os níveis de conforto e bem-estar que as populações merecem", considerou.