Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugal agrava fatura energética em mais 4,2% em 2012

Lusa Visão Verde

  • 333

Lisboa, 02 mai (Lusa) - Portugal agravou em 2012 a sua fatura energética em mais 4,2% relativamente ao ano anterior, situando-se o saldo importador de produtos energéticos 7.138 milhões de euros, anunciou hoje a direção geral de Energia e Geologia (DGEG).

No seu relatório sobre a fatura energética, a DGEG indica que o aumento de 4,2% face ao valor de 2011, de 6.852 milhões de euros, "contribuíram, negativamente, o acréscimo das importações de determinados produtos energéticos, face a 2011, quer em termos de quantidades, quer em termos de valor pago em euros (+7,7 %), com destaque para a importação de petróleo bruto, energia elétrica e hulha, associado ao facto de o ano 2012 ter sido hidrologicamente seco".

Tendo por referência o ano de 2006 - ano base em termos das contas nacionais do INE - e indexando o saldo importador às cotações do 'Brent', como "índice de fator de atualização", o relatório refere que no ano de 2012 se registou "um agravamento face a 2011 (respetivamente 120,8 e 116,0) sendo, contudo, os anos de 2009 e 2010 os que registam, em termos reais, uma melhoria dos seus saldos importadores em euros".