Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Não faz "qualquer sentido" separar trabalhadores efetivos de contratados a prazo nos duodécimos - CCP

Lusa Visão Verde

  • 333

Lisboa, 09 jan (Lusa) -- A CCP considerou hoje não fazer "qualquer sentido" a separação entre as pessoas que têm contrato de trabalho efetivo e as que têm contrato a prazo para efeitos do pagamento dos subsídios de férias e Natal em duodécimos.

"Não tem qualquer sentido separar os duodécimos entre as pessoas que têm contrato de trabalho efetivo e as que têm contrato a prazo" no setor privado, afirmou o líder da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), João Vieira Lopes, no final de uma reunião no Parlamento com os grupos parlamentares do PSD e do CDS-PP para discutir a redução das indemnizações por despedimento.

"Isso é mais outra burocracia para as empresas, mais outra confusão em termos informáticos e de processamento de dados. Devia ser igual para todos", acrescentou Vieira Lopes.