Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Inquérito/PPP: Valente de Oliveira diz que ninguém lhe perdoaria se suspendesse concessão do metro sul do Tejo

Lusa Visão Verde

  • 333

Lisboa, 05 dez (Lusa) -- O antigo ministro das Obras Públicas Valente de Oliveira afirmou hoje que assinou o contrato de concessão do metro sul do Tejo, em 2002, decidida pelo Governo anterior, porque "ninguém perdoaria se parasse para lançar novos estudos".

"O meu papel nesta parceria foi dar seguimento a decisões que estavam tomadas e assegurar que tudo ficaria pronto para alcançar a velha ambição de integrar uma zona que estava bastante isolada e dependente do automóvel", afirmou hoje o antigo ministro das Obras Públicas, do Governo de Durão Barroso, na comissão parlamentar de inquérito às parcerias público-privadas (PPP).

Quando Valente de Oliveira assumiu o Ministério das Obras Públicas, em 2002, a concessão do metro sul do Tejo já tinha sido atribuído à concessionária MTS - Metro, Transportes do Sul (do grupo Barraqueiro), através de concurso público internacional.