Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Estado com representante "não credenciado" na assembleia-geral da Metro do Porto

Lusa Visão Verde

  • 333

Porto, 15 mai (Lusa) -- A assembleia-geral da Metro do Porto foi hoje encerrada sem que tenha sido tomada qualquer deliberação, porque o representante do acionista Estado "não [estava] credenciado", disse à Lusa o presidente da mesa da Assembleia Geral da empresa.

"Eu iniciei e encerrei a assembleia, porque dos estatutos [da Metro do Porto] consta que nenhuma deliberação pode ser tomada sem o Estado estar presente", afirmou, em declarações à Lusa, Valentim Loureiro.

Segundo o presidente da mesa da Assembleia Geral da empresa, "o Estado mandou um seu representante não credenciado, que pelos vistos não sabia bem o que vinha fazer".