Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Administrador de insolvência propõe liquidação controlada de Cerâmica de Valadares

Lusa Visão Verde

  • 333

Redação, 16 jan (Lusa) -- O novo plano de insolvência da Cerâmica de Valadares propõe a liquidação controlada dos ativos da empresa, por ser "totalmente inviável" a sua recuperação, mas admite a possibilidade de reabilitação através de novos investidores.

De acordo com o plano proposto pelo administrador da insolvência, Rui Castro Lima, é reconhecido que há uma impossibilidade de "satisfazer a totalidade dos créditos sobre a insolvência", dando conta de um total do passivo reclamado no valor de 95,9 milhões de euros, 74,3 milhões dos quais relativos à banca e 10,5 aos trabalhadores.

Em relação aos funcionários da empresa, não está previsto o "reembolso integral destes créditos, uma vez que o produto expectável da liquidação do ativo da insolvente não atingirá previsivelmente valor suficiente para tal", sendo que ao BCP, o maior credor da Cerâmica, é atribuída a dação dos imóveis sobre os quais tem hipoteca.