Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Vinci quer fazer da ANA "uma bandeira" do desenvolvimento do negócio aeroportuário

Lusa economia

  • 333

Lisboa, 19 nov (Lusa) - O diretor geral da Vinci Concessions, um dos cinco candidatos que passaram à segunda fase na corrida à privatização da ANA, afirmou hoje que quer fazer da empresa gestora de aeroportos "uma bandeira" em termos de desenvolvimento do negócio aeroportuário.

"Queremos fazer da ANA a nossa bandeira em termos de desenvolvimento aeroportuário. Não que seja um ativo secundário numa grande coleção de ativos e, mais ainda, queremos que seja a base de todos os desenvolvimentos futuros neste setor", disse Louis-Roch Burgard, em conferência de imprensa, em Lisboa, no dia em que começa a segunda fase do processo de venda da ANA.

O presidente da Vinci Airports, Nicolas Notebaert, precisou que o projeto do grupo Vinci passa por fazer de "Lisboa o grande 'hub' [plataforma giratória] da rede", realçando que "o objetivo é que [o Aeroporto de Lisboa] jogue na Liga dos Campeões em termos aeroportuários".