Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

União Económica e Monetária é espaço estranho à procura de uma política - Carlos Costa

Lusa economia

  • 333

Porto, 12 jul (Lusa) -- O governador do Banco de Portugal defendeu quinta-feira que a União Económica e Monetária é hoje um espaço "muito estranho", à procura de uma política, considerando que o processo de integração da União Europeia acontece numa sucessão entre problema/solução/problema.

Carlos Costa falava na quinta-feira à noite no Porto, no encerramento do ciclo de conferências "O Imaterial2", em Serralves -- sessão que contou também com a participação do ex-presidente da Assembleia da República Jaime Gama -- tendo o governador do Banco de Portugal defendido que a saída para a Europa é que esta seja mais integrada, mais equipada e mais legitimada.

"Nós temos que constatar que a União Europeia, sobretudo a União Económica e Monetária, é hoje um espaço muito estranho porque tem uma balança de pagamentos excedentária, tem uma situação muito diferenciada em termos de crescimento económico, tem uma situação muito diferenciada em termos de deficit e tem uma situação muito diferenciada em termos de desemprego", declarou.