Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Rehn diz que é "prematuro" falar de mais um ano para Portugal corrigir défice

Lusa economia

  • 333

Bruxelas, 22 fev (Lusa) -- O comissário europeu dos Assuntos Económicos disse hoje em Bruxelas que é "prematuro" abordar a questão da eventual extensão do prazo para Portugal corrigir o seu défice, apontando que o assunto será analisado depois do sétimo exame da 'troika'.

Questionado sobre o desejo já manifestado pelo Governo português de contar com mais um ano para corrigir o défice excessivo das contas públicas, face à revisão em baixa do crescimento económico, que Bruxelas hoje mesmo "confirmou" nas suas previsões económicas de inverno (projetando uma recessão de 1,9% este ano), Olli Rehn disse que é necessário aguardar pela conclusão da sétima revisão do programa de ajustamento.

"Do ponto de vista da Comissão, é prematuro falar de potenciais implicações para o procedimento por défice excessivo com base nestas previsões de inverno. A próxima missão da revisão começa na segunda-feira, e irá analisar em maior detalhe as projeções prováveis de crescimento económica e finanças públicas de Portugal, e como tal, a avaliação será feita durante esta sétima missão de revisão que começa na próxima semana", declarou Olli Rehn.