Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Presidente do Eurogrupo admite mais apoios para Portugal regressar aos mercados

Lusa economia

  • 333

Luxemburgo, 20 jun (Lusa) -- O presidente do Eurogrupo admitiu hoje que poderão vir a ser consideradas medidas de apoio complementares a Portugal e Irlanda para ajudar estes dois países a saírem dos programas de assistência e a regressarem aos mercados.

"Como se sabe, as maturidades dos empréstimos do FEEF e do MEEF foram prolongadas por sete anos. Se outras medidas ou apoios forem necessários durante o período de saída (dos programas), poderão ser considerados", declarou Jeroen Dijsselbloem, numa conferência de imprensa no Luxemburgo.

O ministro holandês, que falava no final da primeira reunião do Conselho de Governadores do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MME), ao qual também preside, e antes de uma reunião dos ministros das Finanças da zona euro, insistiu que "o Eurogrupo está pronto a assistir tanto a Irlanda como Portugal na saída dos respetivos programas", sem no entanto precisar em que termos, ao ser questionado sobre a possibilidade de programas cautelares para Dublin e Lisboa.