Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Paulo Morais defende que privatização das águas só pode avançar com referendo nacional

Lusa economia

  • 333

Viana do Castelo, 19 dez (Lusa) - O vice-presidente da Associação Transparência e Integridade, Paulo Morais, defendeu hoje a necessidade de realização de um referendo nacional caso avance a privatização do setor das águas, por se tratar de um bem público.

"Se houver, da parte deste Governo ou do que esteja em função, vontade, como parece que vem aí, de privatizar a água, pela minha parte, e outras pessoas, tudo faremos para que isso se evite. Se necessário for, promovendo um referendo nacional nesse sentido", afirmou à agência Lusa Paulo Morais.

Acrescentou que "nenhum programa eleitoral" sufragado nas últimas eleições legislativas previa a privatização das águas "como um todo" e por isso, "se essa for a opção do Governo e da Assembleia da República", a população "terá de ser chamada a pronunciar-se".