Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

OE2014: CIP diz que aumentar idade da reforma para 66 anos é "o máximo admissível"

Lusa economia

  • 333

Lisboa, 23 out (Lusa) - O presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), António Saraiva, afirmou hoje que o aumento da idade da reforma para os 66 anos "é o máximo admissível" e que falar num número superior é "pura ficção".

"Há dúvidas de interpretação se [a idade da reforma se vai fixar] nos 66 ou se, através da aplicação do fator de sustentabilidade, poderá subir para os 67. Mas para nós [CIP] 66 deveria ser o valor máximo. Qualquer outro número é pura ficção", disse António Saraiva aos jornalistas à margem da reunião de concertação social, ainda a decorrer.

O presidente da CIP, que teve de abandonar a reunião mais cedo, considerou que "esta solução de aumento [da idade da reforma] vem penalizar o refrescamento dos quadros".