Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

OE2013: Governo mantém taxas sobre subsídios de doença e desemprego, isentando rendimentos mais baixos

Lusa economia

  • 333

(CORREÇÃO) Lisboa, 17 abr (Lusa) - O Governo mantém a taxa de 5% sobre o subsídio de doença e de 6% sobre o subsídio de desemprego, mas isenta as prestações mais baixas, a partir de um montante ainda não definido.

Na conferência de imprensa sobre as conclusões do Conselho de Ministros, o Governo referiu que o chumbo do Tribunal Constitucional a esta norma se deveu à falta de progressividade e proteção das prestações mínimas nesta matéria.

O ministro da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares afirmou que o Governo irá então introduzir uma clausula de salvaguarda na lei que proteja "valores mínimos", mas ainda não está definido o valor limite até ao qual estas prestações estão protegidas das taxas que o executivo quer impor.(Ao contrário da informação inicialmente avançada pela Lusa, sobre o subsídio de doença recai uma taxa de 5% e sobre o subsídio de desemprego uma taxa de 6%)