Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

OE2013: Conselho das Finanças Públicas admite nova quebra de impostos indiretos

Lusa economia

  • 333

Lisboa, 07 nov (Lusa) -- O Conselho das Finanças Públicas (CFP) admitiu hoje que há motivos para acreditar que o cenário de contração das receitas provenientes de impostos indiretos como o IVA verificado em 2012 se possa vir a repetir.

"A experiência de 2012 foi dececionante no que respeitou ao recurso a aumentos de receitas. Conclui-se agora que as receitas do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) e de outros impostos indiretos ficarão consideravelmente aquém das previsões originais", escreveu o CFP na análise da proposta do Orçamento do Estado para 2013.

A instituição presidida por Teodora Cardoso referiu que o impacto negativo na atividade económica foi "claramente subestimado nesse caso, tendo esse efeito sido ampliado por uma previsão inicial demasiado otimista do efeito da reestruturação das listas de IVA".