Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

"Não há alternativas" ao ajustamento, mas "pode-se sempre afinar o rumo" - Carlos Moedas

Lusa economia

  • 333

Beja, 09 nov (Lusa) - O secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, defendeu hoje que "não há alternativas viáveis" ao programa de ajustamento português, que tem de ser "trilhado" para Portugal conseguir retomar uma situação financeira "equilibrada".

"Sabemos que se pode sempre afinar o rumo, que há sempre melhorias possíveis, mas sabemos também que não há alternativas viáveis ao ajustamento pelo qual estamos a passar", disse Carlos Moedas, em Beja, na cerimónia do dia do Instituto Politécnico da cidade, que hoje celebra 33 anos.

Segundo o governante, "estamos a viver tempos difíceis" e "estamos todos conscientes que o caminho tem sacrifícios e incertezas, mas tem de ser trilhado para que Portugal consiga retomar uma situação equilibrada, com contas em ordem, com a casa arrumada, com as necessárias reformas na nossa economia".