Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Kenneth Rogoff defende perdão parcial das dívidas soberanas da periferia europeia

Lusa economia

  • 333

Lisboa, 26 abr (Lusa) -- O economista Kenneth Rogoff disse hoje que defende "desde há muito tempo o perdão parcial das dívidas soberanas, assim como da dívida sénior da banca, de países da periferia da Europa (Grécia, Portugal, Irlanda; Espanha) para libertar o crescimento".

O economista de Harvard, visto como o "pai das políticas de austeridade", seguidas por vários governos em todo o mundo, escreve hoje num artigo publicado no New York Times que "em alguns casos" está de acordo com "propostas mais radicais, incluindo a "restruturação da dívida (um termo polido para incumprimento parcial), tanto de dívidas soberanas como privadas".

Num artigo que assina com Carmen Reinhart, e em que os dois autores respondem à polémica do erro de cálculo detetado num dos artigos académicos que mais consistentemente sustentou as políticas de austeridade decididas por vários governos em todo o mundo, o ex-econimista-chefe do Fundo Monetário Internacional defende que restruturações como essas ajudaram a resolver o problema da escalada das dívidas soberanas durante a Primeira Guerra e a Grande Depressão".