Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ideia de que o Estado está falido e que tudo é aceitável é um erro grave - SEDES

Lusa economia

  • 333

Lisboa, 28 out (Lusa) - A SEDES - Associação para o Desenvolvimento Económico e Social criticou hoje "as políticas erráticas" que criaram uma incerteza "absolutamente desnecessária" e defendeu que a ideia de que o Estado está falido e tudo é aceitável é "um erro grave".

"O acordo com a 'troika' fez-se exatamente para evitar essa falência", argumenta a SEDES numa tomada de posição divulgada no seu sítio da Internet, acrescentando que, embora não seja perfeito, o acordo "evitou o pior".

O documento, subscrito pelo presidente da SEDES, o ex-ministro das Finanças de José Sócrates, Luís Campos e Cunha, e outros oito elementos do conselho coordenador, salienta que "a incerteza e a violação do Estado de Direito" têm afundado mais a economia do que a austeridade.