Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Governo subestimou efeitos recessivos das medidas de austeridade - Conselho de Finanças Públicas

Lusa economia

  • 333

Lisboa, 30 abr (Lusa) -- O Conselho de Finanças Públicas considera que o Governo subestimou os efeitos recessivos da austeridade sobre as expectativas dos agentes económicos e os seus efeitos no consumo privado, investimento e emprego, fazendo projeções macroeconómicas demasiado otimistas.

"Poderá ter sido subavaliado o efeito recessivo das medidas orçamentais, designadamente sobre as expectativas dos agentes económicos, com efeitos no consumo privado, no investimento e no emprego", afirma o Conselho de Finanças Públicas uma análise sobre as contas das Administrações Públicas de 2012.

A instituição sublinha por diversas vezes que muitas componentes do quadro macroeconómico construído pelo Governo e revisto ao longo do ano acabaram por se revelar demasiado otimistas, com impacto sobre a execução orçamental de 2012 e que pode ter consequências nas contas deste ano.