Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Governo diz que crédito fiscal é um prémio, oposição chama-lhe ilusão e propaganda

Lusa economia

  • 333

Lisboa, 06 jun (Lusa) -- O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais afirmou hoje que o crédito fiscal extraordinário é "um prémio" para quem investir em Portugal este ano, mas a oposição mais à esquerda qualifica-o de "super-ilusão" e "super-propaganda".

No debate do diploma que inclui o que Paulo Núncio chamou de "super-crédito fiscal", o governante disse que este se trata de um prémio para quem quiser investir ainda em 2013, procurando incentivar as pequenas e médias empresas que já têm investimento em carteira, mas também para que multinacionais que têm investimentos em carteira para outros países escolham ao invés Portugal como destino desse mesmo investimento.

Paulo Núncio explicou ainda que esta "foi desenhada para ser uma medida muito abrangente, para todos os setores de atividade, e por isso a todas as empresas" e que o limite de 5 milhões de euros foi escolhido por se tratar do valor médio do investimento anual de cerca de 97% das empresas, o que demonstra que este crédito fiscal foi desenhado precisamente para abranger PME.