Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Fisco: Restauração não quer ser "o bode expiatório da consciência fiscal dos portugueses"

Lusa economia

  • 333

Porto, 20 jul (Lusa) -- As associações de hotelaria e turismo compreendem a obrigatoriedade de emissão de fatura no setor, mas alertam que a restauração "não pode ser o bode expiatório da consciência fiscal dos portugueses".

"A APHORT [Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo] e a AIHSA [Associação dos Industriais Hoteleiros e Similares do Algarve] consideram que a restauração não pode ser o bode expiatório da consciência fiscal dos portugueses, pelo que, mais do que uma medida de policiamento ao setor, a dedução do IVA deveria ser encarada pelo Governo como um instrumento de incentivo ao consumo, à semelhança do que acontece em muitos países da União Europeia", afirmam em comunicado.

Para o setor, as recentes medidas anunciadas pelo Governo de obrigatoriedade de emissão de fatura em atividades como a restauração "vão ao encontro da necessidade de combate à economia paralela", mas "a extensão dessa dedução às empresas nas suas despesas em alojamento e em alimentação iria contribuir para a solicitação de faturas por parte do consumidor, penalizando os estabelecimentos que optassem por operar de forma desleal".