Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Euro/Crise: Intervenção de mecanismos europeus está sujeita a "condições estritas" -- Olli Rehn

Lusa economia

  • 333

Nova Iorque, EUA, 13 ago (Lusa) -- O vice-presidente da Comissão Europeia Olli Rehn alertou que o recurso a instrumentos como o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) só vai ser implementado por pedido de um Estado-membro e está sujeito a "condições estritas".

"O MEE, a barreira permanente da zona euro, vai ficar operacional em breve. A 29 de junho, os líderes da zona euro comprometeram-se a fazer o que for necessário para assegurar a estabilidade financeira através de um uso eficaz e flexível dos instrumentos existentes. Estes instrumentos, que permitem a intervenção nos mercados de dívida quando necessário, devem seguir um pedido por um Estado-membro e estar sujeitos a condições estritas", escreveu Olli Rehn num artigo publicado no Wall Street Journal.

O também comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros acrescentou que, "para garantir que estas intervenções ajudam a reduzir os juros de forma duradoura, elas estarão disponíveis apenas a Estados-membros que conduzam políticas orçamentais sólidas, adotem reformas estruturais para crescimento e emprego e abordem desequilíbrios macroeconómicos".