Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Empresas portuguesas foram as que deram mais horas de formação em 2010 - Eurostat

Lusa economia

  • 333

Bruxelas, 11 jun (Lusa) -- Cerca de dois terços das empresas portuguesas com 10 ou mais assalariados propuseram ações de formação profissional em 2010, tendo Portugal sido o Estado-membro da União Europeia onde os trabalhadores tiveram mais horas de formação, revela o Eurostat.

Segundo dados hoje revelados pelo gabinete oficial de estatísticas da UE, dois terços das empresas europeias (66%) com mais de 10 trabalhadores ofereceram cursos de formação ao seu pessoal, tendo as empresas portuguesas estado em linha com a média comunitária (65%), sendo que a aceitação em Portugal ficou acima da média da UE (55% dos trabalhadores das empresas que propuseram formação aceitaram-na, contra 48% no conjunto da União).

A participação em cursos de formação profissional foi homogénea entre as empresas portuguesas que a disponibilizaram, com uma taxa de participação de 58% nas pequenas empresas (entre 10 e 49 trabalhadores), 54% nas médias (entre 50 e 249 assalariados) e 55% nas grandes empresas (mais de 250).