Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Economista-chefe do FMI admite que "perdeu tempo" com a Grécia

Lusa economia

  • 333

Paris, 08 jun (Lusa) - O economista-chefe do Fundo Monetário Internacional, Olivier Blanchard, reconheceu hoje numa entrevista a uma rádio francesa que o Fundo e os europeus "perderam tempo" a resgatar a Grécia, considerando que a dívida era mesmo insustentável.

A atuação do FMI "não foi a ideal, provavelmente perdemos tempo", admitiu o responsável do FMI, no final de uma semana marcada pelas notícias sobre a admissão de erros no programa de resgate financeiro à Grécia, a admissão de que os técnicos terão 'torcido as regras' sobre a própria ajuda internacional, e que mereceram da Comissão Europeia uma resposta dura, que põe a nu os desentendimentos entre os parceiros europeus e norte-americanos da 'troika' na abordagem aos países da zona euro em dificuldades.

"Naturalmente, a Grécia deveria ter estado disposta a renegociar a dívida à partida, poder sair da crise mais facilmente, mas no contexto europeu da época, as condições não estavam ainda reunidas para isso", disse o responsável, aludindo ao receio generalizado de que uma renegociação da dívida tivesse um efeito de contágio aos outros países em dificuldades, e precipitasse uma crise financeira generalizada e, no limite, o fim da zona euro.