Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Conjuntura: Carlos Costa diz que supervisor tem obrigação de ser "desmancha-prazeres"

Lusa economia

  • 333

Porto, 27 set (Lusa) -- O governador do Banco de Portugal afirmou hoje que os supervisores do mercado têm a obrigação de ser "desmancha-prazeres" nas alturas em que a economia está bem, porque é aí que se devem tomar cautelas.

Segundo Carlos Costa, "o supervisor, seja do mercado de capitais, seja do mercado financeiro, tem obrigação, durante os períodos em que tudo corre bem, de ser o desmancha-prazeres e introduzir mais regras ou introduzir princípios anticíclicos, porque as cautelas tomam-se quando tudo vai bem".

"Numa reunião de governadores de bancos centrais, o presidente do Banco Central do Brasil dizia-me: 'Mas tu achas que éramos capazes de desligar a música quando a festa estava em pleno?' Não sei se seremos capazes, até porque isso vai gerar um coro de críticas das famílias, das empresas, mas diria que é essa a obrigação de um supervisor", considerou Carlos Costa.