Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Comércio: AHRESP diz que só o Banco de Portugal pode resolver taxas excessivas nos pagamentos eletrónicos

Lusa economia

  • 333

Lisboa, 26 set (Lusa) -- A AHRESP recomendou hoje ao Parlamento que ouça o governador do Banco de Portugal (BdP), considerando que "apenas o regulador pode resolver" a questão das taxas "excessivas" cobradas aos operadores pelos meios de pagamento eletrónico.

José Manuel Esteves, secretário-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares (AHRESP), recordou hoje aos deputados da Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas que foi Carlos Costa que, quando "há dois anos e quatro meses" tomou posse, sublinhou no seu discurso enquanto governador do BdP que "uma das suas principais preocupações era a falta de transparência e de concorrência no mercado dos meios de pagamento eletrónico".

"Esperamos que tenha sido por motivos de agenda que ele [Carlos Costa] até agora não tenha conseguido tratar esta matéria, e não nos passa pela cabeça que o senhor governador pudesse ter sido capturado pelos interesses financeiros da poderosa banca", acrescentou o responsável da AHRESP.