Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Coface não prevê regresso rápido do investimento estrangeiro a Portugal

Lusa economia

  • 333

Porto, 22 mai (Lusa) -- A seguradora de crédito Coface não prevê para breve o regresso do investimento estrangeiro a Portugal, onde a taxa de insolvências de empresas é sete vezes superior a 2007 e o acesso ao crédito está muito restringido.

"Nesta altura não vemos o investimento estrangeiro a regressar a Portugal, como já vimos recentemente em Espanha, porque o país está em recessão e as famílias portugueses estão a limpar as suas dívidas e não gastam como gastavam", afirmou Christine Altuzarra, do departamento de análise económica da Coface, em declarações aos jornalistas à margem da conferência sobre Risco País que a seguradora promoveu hoje no Porto.

Classificado desde março de 2012 pela Coface com um risco de crédito de nível B (o 3.º pior numa escala de sete -- A1, A2, A3, A4, B, C e D), Portugal tem atualmente, segundo Christine Altuzarra, um nível de insolvências de empresas sete vezes superior ao de 2007, enquanto em Espanha as falências aumentaram cinco vezes e em Itália duas vezes.