Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

A instabilidade financeira pode pôr em causa a democracia - Vítor Bento

Lusa economia

  • 333

Lisboa, 20 nov (Lusa) - Portugal tem que conseguir "conciliar a democracia com a estabilidade financeira", porque, "se a democracia não conseguir resolver a instabilidade financeira, a instabilidade financeira pode pôr em causa a democracia", considerou hoje o conselheiro de Estado Vítor Bento.

"Se a democracia não conseguir resolver a instabilidade financeira, a estabilidade financeira pode pôr em causa a democracia. É um desafio que temos que resolver e julgo que todos queremos resolvê-lo em democracia", afirmou o economista numa intervenção no âmbito do ciclo de conferências da ACEGE - Associação Cristã de Empresários e Gestores.

Um dos "grandes desafios que, enquanto sociedade, temos pela frente é, em primeiro lugar, conciliar a democracia com a estabilidade financeira. Nós não temos uma experiência histórica de compatibilidade entre estes dois registos, o político e o financeiro. Não podemos viver sem estabilidade financeira porque dará mau resultado - e neste momento nem isso nos é permitido, acabou. E julgo que ninguém quer viver sem democracia. Portanto temos que conciliar estes dois objetivos, porque senão um dá cabo do outro", afirmou.