Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Livro recorda a morte do atleta Francisco Lázaro nas Olímpiadas de Estocolmo

Lusa

  • 333

Lisboa, 07 jun (Lusa) -- A morte do atleta português Francisco Lázaro durante a maratona dos Jogos Olímpicos de Estocolmo em 1912 inspirou o diplomata André Oliveira a escrever um livro sobre uma das competições desportivas mais conturbadas da História.

"Corro para a Eternidade -- a trágica ambição de Francisco Lázaro" é um romance histórico escrito por André Oliveira, diplomata português presentemente na embaixada de Portugal na Suécia, e que relata os factos ocorridos durante a maratona dos Jogos Olímpicos de Estocolmo em 1912, que regista a primeira morte em competição nas olimpíadas da idade moderna.

"Nesta maratona houve três atletas que se destacaram por motivos diferentes: o vencedor, um sul-africano, Kennedy MacArthur, de um país que acabava de sair da guerra dos Boers; o português Francisco Lázaro, pela sua morte, e Siso Kanakuri, um japonês que terá parado para tomar uma limonada a meio da prova e que desapareceu. A organização nunca soube do paradeiro do japonês que, na verdade, 54 anos mais tarde, regressou a Estocolmo e terminou a maratona de forma simbólica", disse à Lusa André Oliveira.