Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Justiça/Porto: Contribuintes pagam mais de mil euros para se julgar furto de 14 euros - advogado

Lusa

  • 333

Porto, 28 ago (Lusa) -- Diligências para levar a julgamento um sem-abrigo do Porto, por um furto de 14,34 euros, já custaram aos contribuintes mais de mil euros, calculou hoje o advogado do arguido, que considerou a acusação do Ministério Público um "erro processual".

O sem-abrigo, atualmente em paradeiro desconhecido e com julgamento marcado para setembro nos Juízos Criminais do Porto, vivia na rua do Campo Alegre em 17 de maio de 2010, altura em que se apropriou, no supermercado Lidl da rua de Agramonte, de seis embalagens de chocolates entretanto recuperadas pelo segurança do estabelecimento.

"Dado o envolvimento ativo das autoridades policiais, cada vez que necessitam de notificar o arguido, calculo que já tenham sido gastos mais de mil euros neste processo. E o Lidl nada pagou, nem nenhum valor lhe foi exigido. Como também nenhum pedido de indemnização formulou", afirmou o causídico Pedro Miguel Branco, nomeado defensor do sem-abrigo e que é membro da Associação Europeia de Advogados.