Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Justiça: Se um PGR faz coisas tem inimigos, se não faz nada ninguém o incomoda - Pinto Monteiro

Lusa

  • 333

Lisboa, 14 set (lusa) - Fernando Pinto Monteiro anteviu hoje que as "dificuldades" do seu sucessor no exercício do cargo são as mesmas de qualquer Procurador-Geral da República (PGR): "Se faz coisas tem inimigos, se não faz nada ninguém o incomoda".

Pinto Monteiro falava aos jornalistas no final da cerimónia de posse de 36 novos procuradores-adjuntos, que decorreu nos jardins do Palácio de Palmela, Lisboa, na presença da ministra da Justiça, da prouradora-geral distrital de Lisboa e do diretor do Centro de Estudos Judiciários, entre outros.

Na cerimónia, Pinto Monteiro defendeu a necessidade de "uma justiça que obtenha resultados em prazo útil, já que uma justiça fora de tempo deixa muitas vezes de ser justiça", mas ao ser confrontado pelos jornalistas com a lentidão da investigação de processos como a 'Operação Furação' e 'Submarinos' admitiu que o "sistema é lento quando mete peritagens e exames", mas que é atribuída ao Ministério Público "culpa que ele não tem".