Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Investidores menos dispostos a apostar nos mercados emergentes - estudo

Lusa

  • 333

Paris, 26 jun (Lusa) - Os planos da Reserva Federal norte-americana para esbater o seu estímulo monetário e as perspetivas de crescimento mais lento nos mercados emergentes vão conduzir à redução dos fluxos de capitais privados nestes países, indica um estudo do IIF publicado hoje.

O Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla inglesa), que representa os principais bancos mundiais, estima que os fluxos líquidos de capitais privados para os mercados emergentes diminuam 36 mil milhões de dólares (27 mil milhões de euros) até 1,14 biliões de dólares (875 mil milhões de euros) em 2013. Em 2014, as estimativas apontam para uma redução de 33 mil milhões de dólares (25,2 mil milhões de euros).

"Os investidores estão cada vez mais inquietos com o impacto da retirada por parte da Fed (Reserva Federal norte-americana) do seu apoio à economia, em particular no contexto da desaceleração do crescimento das economias emergentes", sublinha Hung Tran, diretor executivo do IIF, citado em comunicado.