Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Inquérito/PPP: Paulo Campos questiona razão para contratos mais lesivos não serem renegociados pelo Governo

Lusa

  • 333

Lisboa, 18 jan (Lusa) - O ex-secretário de Estado das Obras Públicas Paulo Campos questionou hoje a razão para o Governo não renegociar as duas Parcerias Público-Privadas (PPP) rodoviárias "piores para o país", referindo-se à concessão Brisa e Lusoponte.

De acordo com o secretário de Estado do Governo de José Sócrates, a concessão Brisa e Lusoponte, por serem as mais antigas, têm os contratos mais lesivos para o Estado, que mostram que "alguma coisa correu menos bem", questionando a razão para terem ficado de fora do pacote de renegociação de contratos com o qual o Governo quer alcançar uma poupança anual de 250 milhões de euros.

"Por que é que aquelas [PPP] que são piores para o país o Governo decidiu não renegociar - Lusoponte e Brisa", questionou Paulo Campos, que está a ser ouvido na comissão parlamentar de inquérito às PPP.