Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Inquérito/BPN: Costa Pina invoca presunção da inocência sobre permanência de quadros condenados

Lusa

  • 333

Lisboa, 10 jul (Lusa) - O ex-secretário de Estado Costa Pina invocou hoje o princípio da presunção da inocência para justificar a permanência no Banco Português de Negócios (BPN) de quadros que foram depois condenados pelo Banco de Portugal.

A questão sobre os motivos que levaram a administração do BPN nacionalizado a manter em funções 17 quadros suspeitos de práticas irregulares e que acabaram agora por ser alvo de condenação pelo Banco de Portugal foi primeiro colocada pelo deputado do CDS João Almeida, que também lembrou que o próprio ex-secretário de Estado Costa Pina caraterizara o que se passou neste banco como "um caso de polícia".

Esta mesma questão foi depois retomada pelo deputado social-democrata Hugo Velosa, durante a audição do ex-secretário de Estado do Tesouro e das Finanças Carlos Costa Pina na comissão de inquérito parlamentar sobre o BPN.