Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Infarmed e Apifarma dizem que não há provas de riscos dos resíduos farmacêuticos

Lusa

  • 333

Coimbra, 24 jun (Lusa) - Responsáveis do Infarmed e da Apifarma disseram hoje que não está provado o risco dos resíduos farmacêuticos na saúde humana, mas garantiram que vão ser implementadas medidas para evitar ou minimizar esse risco.

"Ainda não foi provado, até agora, com nenhum medicamento, em várias publicações internacionais, o risco dos resíduos do medicamento na saúde humana e na água de bebida, essencialmente na água de bebida", referiu à agência Lusa Leonor Meisel, em Coimbra, onde participou no seminário internacional "Fármacos no Ambiente: visão global e futuro".

A especialista, que representou o presidente do Infarmed, defendeu, no entanto, que o "bilhete de identidade" dos medicamentos deve recomendar a sua eliminação de acordo com os requisitos da legislação de cada país.