Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Governo: "Coligação à beira do colapso", mas primeiro-ministro não tenciona demitir-se - Xinhua

Lusa

  • 333

Pequim, 03 jul (Lusa) - A demissão do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas, "deixou a coligação governamental à beira do colapso", enquanto o primeiro-ministro, Passos Coelho, anunciou que não se demitirá, referiu hoje a agência noticiosa oficial chinesa Xinhua.

A saída de Portas é a terceira baixa do governo em menos de um ano, depois das demissões de Miguel Relvas e Vítor Gaspar, mas "ainda não é claro se o CDS/PP (o partido presidido pelo MNE demissionário) abandonará também a coligação", indicou a Xinhua.

No seu noticiário sobre a crise política em Portugal, difundido hoje de madrugada (hora local), a Xinhua refere que Portas "discordou das duras medidas de austeridade, em particular a redução das pensões de reforma, impostas no âmbito do resgate de 78.000 milhões de euros concedido pela União Europeia, Fundo Monetário Internacional e o Banco Central Europeu".