Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Futebol: Freamunde -- "Consegui fazer um 'pé-de-meia' sem jogar no estrangeiro ou na I Liga" - Bock

Lusa

  • 333

Freamunde, 19 set (Lusa) - O futebolista Bock, do Freamunde, disse hoje ter recusado vários convites ao longo da carreira para jogar no estrangeiro, por não ter espírito de emigrante, o que não o impediu de ter feito "um bom pé-de-meia".

"Quando estava no Vizela, podia ter saído para França, mas, ao longo da carreira, recebi vários convites, alguns deles tentadores, para jogar no estrangeiro, mas nunca tive vocação para emigrante", disse Bock, em declarações à agência Lusa, numa lista que incluía, além de franceses, clubes árabes e cipriotas.

As recusas do avançado, que hoje completa 37 anos, fizeram-no perder bons contratos, o que não o impediu de ter feito "um bom pé-de-meia".