Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Fuga em Castelo Branco por "nítida negligência" - Associação de apoio ao recluso

Lusa

  • 333

Castelo Branco, 18 nov (Lusa) - A Associação Portuguesa de Apoio ao Recluso (APAR) considerou hoje que a fuga de três presidiários da cadeia de Castelo Branco, no domingo, foi consequência de "nítida negligência", disse à Lusa o secretário-geral daquela organização, Vítor Ilharco.

"Qualquer fuga é reflexo de negligência e neste caso é claro que houve uma nítida negligência dos guardas prisionais, mas agora, em vez de o assumirem, estão a usá-la para exigirem mais meios e mais guardas", referiu.

Vítor Ilharco afirmou que a APAR "repudia veementemente qualquer fuga em qualquer circunstância", mas sustentou que o "facto de os reclusos terem conseguido escapar não só aos guardas que alegadamente agrediram como também aos que deviam estar a guardar o espaço exterior" é reflexo de negligência.