Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Fim do contrato das Pandur vai "matar" empresa e provocar 200 despedimentos - Fabrequipa

Lusa

  • 333

Lisboa, 30 out (Lusa) - O presidente da Fabrequipa, Francisco Pita, disse hoje que a denúncia do contrato dos blindados Pandur vai "matar" a sua empresa e levar ao despedimento de 200 trabalhadores e apelou ao ministro da Defesa para "repensar".

Em declarações à agência Lusa, Francisco Pita, sócio-gerente desta empresa sediada no Barreiro, disse que o Exército e a Marinha são responsáveis por vários atrasos no fornecimento dos blindados e que "desde 2011 que a General Dynamics tem 25 Pandur para entregar ao Estado que não são aceites".

"As Pandur têm 16 variantes e algumas nem começaram a ser construídas porque os engenheiros das Forças Armadas ainda não chegaram. Por exemplo, a variante de engenharia não se iniciou porque a missão de acompanhamento ainda não conseguiu junto da adjudicatária especificar as características que quer e na variante anfíbia há um desacompanhamento total, a missão de acompanhamento desapareceu, está tudo parado há um ano", adiantou.