Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Fesap admite"formas máximas de luta" perante "intransigência" do Governo

Lusa

  • 333

Lisboa, 28 mai (Lusa) - O coordenador da Frente Sindical da Administração Pública (Fesap), afeta à UGT, afirmou hoje que a "intransigência" do Governo reforça a necessidade de equacionar "as formas máximas de luta".

"O Governo manteve-se intransigente. Dissemos claramente que ou as coisas se alteram ou não há possibilidade de entendimento", disse aos jornalistas Nobre dos Santos no final de um encontro de cerca de duas horas com o secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino.

Em cima da mesa das negociações esteve hoje, entre outras matérias, a questão da mobilidade - a requalificação - que, no entender da Fesap, se destina a "dispensar pessoas".