Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Federação de Ginástica reclama melhor condições em "ano repleto" de eventos

Lusa

  • 333

Maia, 17 mar (Lusa) - O presidente da Federação de Ginástica de Portugal ambiciona ter mais condições para a prática da modalidade, lembrando o número elevado de provas mundiais que se vão realizar este ano no país.

À margem da Taça do Mundo de Ginástica Acrobática, que decorreu de sexta-feira a domingo, na Maia, tendo juntado oito seleções nacionais, e que acabou com a vitória de um par misto português, Gonçalo Roque e Leonor Oliveira -, o presidente da Federação de Ginástica de Portugal (FGP), João Paulo Rocha, falou à Lusa das condições que os ginastas portugueses têm para treinar.

"Temos um longo caminho a percorrer em relação às condições de treino para a ginástica em Portugal. No país, temos cerca de 500 piscinas municipais, cerca de 70 pistas de atletismo municipais, que são instalações especializadas. Numa pista de atletismo, só se pratica atletismo e numa piscina pratica-se natação. Mas, não temos salas especializadas em ginástica. Há um conceito de que a ginástica se pode fazer em qualquer sítio e de que tudo é ginástica, o que não é verdade", disse o dirigente.