Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Farmacêutica norte-americana condenada a pagar 48 ME por reacção adversa a medicamento

Lusa

  • 333

Boston, 14 fev (Lusa) - A multinacional Johnson & Johnson foi hoje condenada a pagar mais de 48 milhões de euros à família de uma adolescente norte-americana que ficou cega e sofreu graves lesões na pele devido a uma reação adversa a um medicamento.

Em 2003, os pais de Samantha Reckis, na altura com sete anos, decidiram dar-lhe um anti-inflamatório para baixar a febre. Tratava-se de Motrin infantil, marca dos comprimidos de ibuprofeno da Johnson & Johnson.

Uma reação adversa ao medicamento provocou-lhe necrólise epidérmica tóxica, o que a levou a perder 90 por cento da pele, provocou-lhe cegueira e danos cerebrais que lhe causaram perda de memória.