Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Falta de cinco mil GNR nos quadros coloca militares em perigo nas operações - ASPIG

Lusa

  • 333

Lisboa, 24 nov (Lusa) -- A Associação Sócio-Profissional Independente da Guarda (ASPIG) alertou hoje para a falta de mais de cinco mil efetivos na GNR, o que põe em perigo a segurança dos militares por falta de apoio nas patrulhas.

A morte de um militar da GNR na noite de sábado, durante uma operação num restaurante no Pinhal Novo, levou hoje o presidente da ASPIG, José Alho, a chamar a atenção para a situação em que trabalham muitos militares.

"Quem padece são sempre os patrulheiros da guarda. São sempre os mal-amados e são sempre os que morrem, porque são os que vão ao primeiro contacto. Quando há alteração à ordem pública, não têm apoio porque há falta de efetivos na atividade operacional, que é qualquer coisa do outro mundo", criticou José Alho, depois de prestar condolências à família do militar assassinado.