Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Falso padre detido pela PJ tem pendente pena de dois anos e meio de prisão

Lusa

  • 333

Braga, 02 mai (Lusa) -- O falso padre hoje detido pela Polícia Judiciária tem pendente uma condenação a dois anos e meio de prisão, aplicada em outubro de 2011 pelo Tribunal de Santo Tirso, pelos crimes de usurpação de funções e de burla qualificada.

Na altura, o tribunal aplicara-lhe pena suspensa, mas em contrapartida exigiu-lhe que indemnizasse, no prazo de dois anos, em 4.727 euros três pessoas que burlou, e que pedisse desculpa, no prazo de 15 dias, à Arquidiocese de Braga, às paróquias onde exerceu ilegalmente e aos respetivos paroquianos.

Agostinho Caridade de seu nome, o falso padre foi ainda condenado, a título de danos não patrimoniais, a pagar 3.000 euros por ter "lesado a fé" dos queixosos.