Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Estudo indica que 34,5% dos universitários inquiridos são vítimas de assédio persistente

Lusa

  • 333

Porto, 10 nov (Lusa) -- Um inquérito online feito a 3.367 universitários portugueses conclui que 34,5% dos inquiridos foi vítima de 'stalking' (assédio persistente) e a maioria das vítimas experienciou "muito medo", revela o estudo da Universidade do Minho.

"Temos uma prevalência de assédio persistente em 34,5% vítimas autodefinidas, e 8,9% de perpetradores de assédio persistente, adiantou à Lusa a psicóloga Helena Grangeia, à margem do V Congresso Internacional da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Psicologia da Justiça, que está a decorrer no Porto.

'Stalking' é uma faceta específica da violência interpessoal, que até há pouco tempo não era reconhecida em Portugal. Trata-se de um padrão de comportamentos de perseguição e de assédio persistente, podendo estar contemplado neste padrão formas diversas de comunicação, contacto, vigilância ou monotorização de uma pessoa alvo.