Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Estudantes e profissionais de saúde em França contestam universidade portuguesa em Toulon

Lusa

  • 333

Paris, 28 nov (Lusa) -- Estudantes e profissionais de saúde em França acusam a Universidade privada Fernando Pessoa (UFP) em Toulon (sul) de desrespeitar o 'numerus clausus' estabelecido para diversos cursos, mas a direção da instituição lembra que atua "dentro do direito europeu".

A Universidade Fernando Pessoa está a funcionar em França desde o dia 12 de novembro, e disponibiliza cursos de Ciências Humanas e Sociais, mas também cursos de Ciências da Saúde: Medicina Dentária, Terapia da Fala, Farmácia e Ciências da nutrição.

O descontentamento surge da parte de estudantes, professores e profissionais de saúde, sobretudo entre os da área de Farmácia, e visa o desrespeito pelo 'numerus clausus' estabelecido, o facto de a Universidade cobrar, no caso concreto deste curso, mais de 9 mil euros por ano a cada aluno, contra um valor entre 180 e 500 euros anuais pedidos pelo ensino público, e contesta mesmo a qualidade do ensino nesta universidade.